terça-feira, 15 de outubro de 2013

BOLSA FAMÍLIA - O PSDB É CONTRA O PROGRAMA, MAS...ELE É UM SUCESSO

NO CAMPO SOCIAL E ECONÔMICO - 25 ANOS EM 5

PARA DESESPERO DOS PRECONCEITUOSOS E DOS QUE NADA ENTENDEM DE POLÍTICAS PÚBLICAS E DE TRANSFERÊNCIA DE RENDA PARA REDUÇÃO DE DESIGUALDADES.

PIB cresce R$ 1,78 para cada R$ 1 no Bolsa Família, diz Ipea

Fernando Diniz

Cada R$ 1 investido no programa de transferência de renda Bolsa Família gera um aumento de R$ 1,78 no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, segundo um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado nesta terça-feira, em Brasília. A pesquisa, que integra um livro sobre o programa social, coincide com os dez anos do Bolsa Família, lançado em 2003.

“O Programa Bolsa Família é, por larga margem, a transferência com maiores efeitos: na simulação, o PIB aumentaria R$ 1,78 para um choque marginal de R$ 1 no PBF (Programa Bolsa Família). Ou seja, se a oferta for perfeitamente elástica e os demais pressupostos forem respeitados, um gasto adicional de 1% do PIB no PBF se traduziria em aumento de 1,78% na atividade econômica”, diz o capítulo do livro “Programa Bolsa Família: uma década de inclusão e cidadania”, que será lançado no próximo dia 30.

De acordo com o estudo, o aumento da atividade econômica com o investimento no Bolsa Família é maior em comparação com transferências previdenciárias e trabalhistas. O Beneficio da Prestação Continuada (BPC) e o seguro desemprego vem em seguida na lista, representando um acréscimo de R$ 1,19 e R$ 1,06 respectivamente para cada real gasto com os benefícios.

As transferências previdenciárias e as transferências do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) apresentam um impacto menor no PIB, com acréscimos menores que 1% para cada percentual igual investido.

O Bolsa Família, segundo o estudo, também causa um impacto positivo no consumo final da economia e das famílias. Cada R$ 1 transferido no programa gera um acréscimo de R$ 1,98 no consumo final e R$ 2,40 no indicador do consumo final das famílias.

Entre 2001 e 2012, a renda per capita entre os mais pobres cresceu 120,22% no Brasil, uma variação quase cinco vezes maior que a faixa dos mais ricos, que subiu 26,41%. O percentual da extrema pobreza caiu 69,2% desde 2002, cumprindo em cinco anos, segundo o governo, a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir pela metade a faixa em 25 anos. “O Brasil fez 25 anos em cinco”, disse Marcelo Neri, presidente do Ipea.

4 comentários:

lucia Ramos Moreira disse...

Então explique, sr. Bond, pra esta ignorante aqui que não entende nada de políticas públicas de transferência de renda:

PORQUÊ O BRASIL SÓ REGISTROU "PIBINHO" NA MAIORIA DESSES 13 ANOS DE PT?

:)

BONDeblog S. O. disse...

Senhora Lucia

Primeiro: A senhora não é ignorante em política, Se faz de ignorante quando interessa, mas não é.

Segundo: O Brasil não registrou só PIBINHO nesses 10 anos. Teve PIB bem expressivos como o de 2010 por exemplo - 7,5%, e a média hoje é maior do que em períodos anteriores.

Terceiro: Programas de transferência de Renda levam tempo para surtir todo o efeito e resultados que podem alcançar. O impacto dessas medidas se dará plenamente em 10 - 15 anos. Com menos miseráveis, menos analfabetos, mais jovens com saúde e com condições melhores de se educar e instruir. É muito mais que um PIB é um PIB HUMANO e SOCIAL.

lucia Ramos Moreira disse...

Vamos lá Sr. Bond,
Só em 2010 tivemos um PIB decente, muito mais pela gastança desenfreada para eleger a Dilma do que propriamente pela pujança da economia. No ano seguinte a conta veio.....
Segundo o IBGE a taxa de analfabetismo, que vinha decrescendo, voltou a subir. Os indicadores sociais, como IDH, variaram muito pouco na era PT.
Continuamos com muitos miseráveis e com a violência crescendo, especialmente no norte e nordeste.
O bolsa-família já está chegando nesses 15 anos, com resultados não muito expressivos, e cheio de distorções. Se o programa desse certo já deveria estar na curva descendente de concessões, mas está justamente no sentido oposto. Isso mostra fracasso.

BONDeblog S. O. disse...

Senhora Lucia

O BOLSA FAMÍLIA não está chegando aos 15 anos, ele é mais novo, do tempo de Lula, está completando 10 anos.

O nosso IDH melhorou muito, e não pouco como a senhora afirma.

O analfabetismo vem caindo, não tanto quanto se precisa, assim como falta muito em termos de qualidade à educação.

Não queira em DEZ ANOS o que não se fez em 500. O Brasil tem avançado sim, e isso vem de longa data, com especial destaque para os últimos anos.

Não é mérito só do PT ou do governo, é mérito de todos que trabalham por isso.

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

PSDB - UM PARTIDO DE COVARDES E CONIVENTES COM A PREVARICAÇÃO

NÃO SÓ DE CORRUPTOS E ACUSADOS DE CORRUPÇÃO, MUITO MAIS DO QUE ISSO, O PSDB É UM PARTIDO DE POLÍTICOS COVARDES, OPORTUNISTAS (MURISTAS...